Alzira Velano de Alfenas se prepara para ser Hospital Amigo da Criança

Hospital Alzira Velano de Alfenas vai ser Hospital AMIGO DA CRIANÇA

Por Jornalista Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 03/09/2021 às 17:47:46
Hospital Alzira Velano de Alfenas vai ser Hospital AMIGO DA CRIANÇA

Hospital Alzira Velano de Alfenas vai ser Hospital AMIGO DA CRIANÇA

Por Unifenas

Marketing do HUAV Grupo com parte dos integrantes do comitê do IHAC (Iniciativa Hospital Amigo da Criança)

Marketing do HUAV Grupo com parte dos integrantes do comitê do IHAC (Iniciativa Hospital Amigo da Criança)

O Hospital Universitário Alzira Velano está em campanha para ser Hospital Amigo da Criança, um selo de qualidade e reconhecimento criado pela UNESCO para destacar os hospitais que apoiam e defendem o aleitamento materno. A formalização e anúncio da iniciativa aconteceu em reunião dia 2 de agosto, com a posse do Comitê Hospitalar Pró-Hospital Amigo da Criança, e a apresentação do projeto que foi feita em palestras, on-line, pelo diretor técnico do hospital, Dr. José Sérgio Tavela Júnior (CRM-35473), e o diretor administrativo Luciano Dutra, no lançamento da campanha Agosto Dourado, que este ano teve como tema: Amamentação - uma responsabilidade compartilhada.

A solicitação para credenciamento do Hospital junto ao Ministério da Saúde, como Hospital Amigo da Criança (IHAC), um antigo sonho, iniciado pelo saudoso professor Edson Antônio Velano em 2000, já foi protocolada na Secretaria de Estado da Saúde.

Para o Diretor Técnico do Hospital Alzira Velano, Dr. José Sérgio Tavela Júnior, este é um momento muito importante e esta iniciativa vem coroar o serviço já prestado, na área materno infantil, a toda população de Alfenas e das 26 cidades da região que são atendidas pelo Alzira Velano. "Temos toda uma estrutura de qualidade que foi montada para atender as gestantes, mães e recém-nascidos, e uma equipe capacitada e motivada que faz um atendimento de qualidade e humanizado."


A Iniciativa Hospital Amigo da Criança foi idealizada para promover, proteger e apoiar o aleitamento materno. O objetivo é mobilizar os funcionários dos estabelecimentos de saúde para que mudem condutas e rotinas responsáveis pelos elevados índices de desmame precoce. Para isso, foram estabelecidos os "Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno". Com isso, o hospital passa a receber um acréscimo de 10% nos valores pagos pelo SUS relativos aos procedimentos obstétricos realizados. Estudos mundiais comprovam que estabelecimento de um vínculo forte após o parto reflete muito na saúde do bebê.

A Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) é considerada uma importante estratégia implementada em várias partes do mundo, com impacto positivo nas taxas de aleitamento materno, e está estruturada em medidas práticas dos estabelecimentos de saúde (hospitais e maternidades) para a proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno.

O programa de caráter mundial, que é viabilizado pelo Unicef, Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde, tem como primeira ação, iniciar a amamentação do recém-nascido antes de cortar o cordão umbilical, estimulando a troca de calor entre mãe e filho.

O projeto preconiza uma série de ações voltadas ao recém-nascido, desde a assistência ao parto até o acompanhamento da criança em seu primeiro ano de vida.

A IHAC soma-se aos esforços do Programa de Saúde da Criança, coordenado pelo Ministério da Saúde, para: informar profissionais de saúde e o público em geral; trabalhar pela adoção de leis que protejam o trabalho da mulher que está amamentando; apoiar rotinas de serviços que promovam o aleitamento materno; combater a livre propaganda de leites artificiais para bebês, bem como bicos, chupetas e mamadeiras.

Ao assinar, em 1990, a Declaração de Innocenti, num encontro em Spedale degli Innocenti, Itália, o Brasil, um dos 12 países escolhidos para dar partida à IHAC, formalizou o compromisso de fazer dos Dez Passos uma realidade nos hospitais do País. Em março de 1992, o Ministério da Saúde e o Grupo de Defesa da Saúde da Criança, com apoio do Unicef e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), deram os primeiros passos.

Como reflexo desta política mundial de incentivo ao aleitamento materno, atualmente mais de 20.000 hospitais são credenciados como HAC em mais de 150 países. A implementação dos dez passos em hospitais e maternidades constituiu uma ação do Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno (PNIAM), que passou a integrar a Área de Saúde da Criança da Secretaria de Políticas de Saúde do Ministério da Saúde, em 1998. Recentemente, no Brasil foram definidos novos critérios para o credenciamento, além dos dez passos com o objetivo de fortalecer a IHAC no contexto atual, bem como atualizar os dados publicados.

Estimular o aleitamento materno é fundamental

Ações visando estimular os hospitais e maternidades no país a se tornarem "Amigos da Criança" são coordenadas no Brasil pela Área de Saúde da Criança do Ministério da Saúde. Os estabelecimentos de saúde, para se tornarem HAC, precisam ser submetidos à avaliação com base no cumprimento dos critérios globais de cada um dos "Dez passos para o sucesso do aleitamento materno".

A mobilização de profissionais de saúde e funcionários de hospitais e maternidades para mudanças de condutas para prevenção do desmame precoce se dá por meio de cursos de capacitação, com base nos "Dez passos para o sucesso do aleitamento materno" preconizado pela OMS/Unicef. Os dez passos consistem de um elenco de medidas que visam prover informações para gestantes e nutrizes sobre os benefícios e o correto manejo da amamentação. As mulheres, além de ter noções sobre a lactação, são informadas sobre estímulos para produção de leite e soluções para os problemas com a amamentação. Também são informadas das vantagens do aleitamento e conscientizadas sobre as desvantagens do uso de substitutos do leite materno.

Para uma instituição receber a placa comemorativa de HAC, é preciso obter no mínimo 80% de aprovação dos critérios globais estabelecidos para cada um dos dez passos.

Dez passos para

o sucesso do

Aleitamento Materno

1. Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, que deveria ser rotineiramente transmitida a toda a equipe de cuidados de saúde;

2. Treinar toda a equipe de cuidados de saúde, capacitando-a para implementar esta norma;

3. Informar todas as gestantes sobre as vantagens e o manejo do aleitamento;

4. Ajudar às mães a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto;

5. Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo se vierem a ser separadas de seus filhos;

6. Não dar a recém-nascidos nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que seja indicado pelo médico;

7. Praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e bebês permaneçam juntos 24 horas por dia;

8. Encorajar o aleitamento sob livre demanda;

9. Não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas ao seio;

10. Encorajar a formação de grupos de apoio à amamentação para onde as mães devem ser encaminhadas, logo após a alta do hospital ou ambulatório.

Leite materno: fonte de saúde e amor

O leite materno é alimento completo: contém vitaminas, minerais, gorduras, açúcares, proteínas, todos apropriados para o organismo do bebê e também possui muitas substâncias nutritivas e de defesa, que não se encontram no leite de vaca e em nenhum outro leite. O leite da mãe é adequado, completo, equilibrado e suficiente para as crianças. Ele é um alimento ideal. Não existe leite fraco. É feito especialmente para o estômago da criança, portanto, de mais fácil digestão. O leite materno dá proteção contra doenças porque só ele tem substâncias que protegem o bebê contra doenças como: diarreia (que pode causar desidratação, desnutrição e morte), pneumonias, infecção de ouvido, alergias e muitas outras doenças.

O bebê que mama no peito cresce saudável e feliz, pois o leite materno é fonte de vida e afeto. O leite materno é limpo e pronto: não apanha sujeira como a mamadeira, está pronto a qualquer hora, na temperatura certa para o bebê; não precisa ser comprado. Dar de mamar é um ato de amor e carinho, faz o bebê sentir-se querido, seguro. Dar de mamar ajuda na prevenção de defeitos na oclusão (fechamento) dos dentes, diminui a incidência de cáries e problemas na fala. Bebês que mamam no peito apresentam melhor crescimento e desenvolvimento. Trabalhos científicos identificam que essas crianças são mais inteligentes. O leite materno é o alimento ideal, não sendo necessário oferecer água, chá e nenhum outro alimento até os seis meses de idade.

Médico Responsável:

Dr. José Sérgio Tavela Júnior (CRM-35473)


Fonte: G1 Sul de Minas e Hospital Alzira Velano

Comunicar erro

Comentários