Minist√©rio P√ļblico faz opera√ß√£o contra esquema de sonega√ß√£o de impostos no Sul de Minas e S√£o Paulo; preju√≠zo pode chegar a R$ 300 milh√Ķes

Minist√©rio P√ļblico cumpre mandados de pris√£o, busca e apreens√£o em Guaxupe (MG), S√ßao Paulo, Jundi√£i e Guararema

Por Jornalista Alair de Almeida, Diretor e Editor do Jornal Região Sul em 05/10/2021 às 09:31:01

Ministério P√ļblico

faz operação contra

esquema de

sonegação de

impostos no

Sul de Minas e

São Paulo; prejuízo

pode chegar

a R$ 300 milh√Ķes

A Empresa que pode

ter causado este prejuízo

de 300 Milh√Ķes

é de Andradas,

no Sul de Minas


Segundo o MP, est√£o sendo cumpridos oito mandados de pris√£o tempor√°ria e oito mandados de busca e apreens√£o em Guaxupé (MG), S√£o Paulo, Jundia√≠ e Guararema (SP).

Ministério P√ļblico faz opera√ß√£o contra esquema de sonega√ß√£o de impostos no Sul de Minas e S√£o Paulo

O Ministério P√ļblico deflagrou na manh√£ desta ter√ßa-feira (5) uma opera√ß√£o contra um esquema de sonega√ß√£o de impostos em Minas Gerais e S√£o Paulo.

O objetivo é combater fraude no setor de metais e sucatas. Segundo o MP, est√£o sendo cumpridos oito mandados de pris√£o tempor√°ria e oito mandados de busca e apreens√£o em Guaxupé (MG), S√£o Paulo, Jundia√≠ e Guararema (SP).De acordo com o MP, além de crime tribut√°rio, os empres√°rios envolvidos podem responder pelos crimes de organiza√ß√£o criminosa e falsidade ideológica.

O suposto esquema pode ter causado preju√≠zo de cerca de 300 milh√Ķes de reais aos cofres p√ļblicos, em raz√£o do n√£o recolhimento do ICMS devido pelos benefici√°rios.Esta é a segunda fase da Opera√ß√£o Sinergia.

A ação conta com a participação de 11 promotores de justiça, oito servidores da Receita Estadual, 45 policiais militares, de Minas Gerais e São Paulo.

Investiga√ß√Ķes

A primeira fase da opera√ß√£o foi realizada em maio deste ano, com o cumprimentado de cinco mandados de pris√£o e 29 de busca e apreens√£o. De acordo com a Pol√≠cia Civil, os representantes de uma empresa com sede em Contagem seriam respons√°veis por executar um esquema de sonega√ß√£o de ICMS na comercializa√ß√£o de metais e sucatas.A fraude consistiria na simula√ß√£o de opera√ß√Ķes de compra e venda de mercadoria mineira com notas fiscais de outros estados, "mediante o uso de empresas de fachada, criadas em nome de pessoas "laranjas", com o objetivo de n√£o pagar tributos e gerar créditos tribut√°rios para a empresa benefici√°ria do esquema".

O MPMG informou que de acordo com os primeiros levantamentos, apenas uma das empresas, localizada em Palmas, capital do Tocantins, emitiu um total de R$ 1,3 bilh√£o em notas fiscais correspondentes a supostas vendas de metais e sucatas.A emiss√£o dos documentos teria gerado um crédito de R$ 159 milh√Ķes distribu√≠dos entre as empresas envolvidas no esquema e usados para abatimento no ICMS.A Justi√ßa mineira analisa o pedido de sequestro de bens móveis e imóveis dos investigados que estariam envolvidos na fraude.

J√° no Sul de Minas, a Receita Estadual apura uma empresa situada no munic√≠pio de Andradas que estaria simulando a compra de mercadorias provenientes de outros estados, especialmente Mato Grosso e Maranh√£o, com o objetivo de obter créditos tribut√°rios de forma il√≠cita.Além disso, as sa√≠das de mercadoria declaradas pela empresa de Andradas também seriam fict√≠cias.

O suposto esquema pode ter causado preju√≠zo de cerca de 100 milh√Ķes de reais aos cofres p√ļblicos, em raz√£o do n√£o recolhimento do ICMS devido pelos benefici√°rios.

Apenas nos anos de 2020 e 2021, a empresa de Andradas apresentou movimento cont√°bil superior a R$ 1 bilh√£o.

Fonte: G1 Sul de Minas e Pol√≠cias Civil e Minist√©rio P√ļblico

Comunicar erro

Coment√°rios