Avanço da vacinação e queda de casos faz com que centrais de atendimentos Covid-19 sejam fechadas no Sul de MG

Por Jornalista Alair de Almeida, Diretor e Editor do Jornal Região Sul em 05/11/2021 às 19:37:50
Em Cássia, Varginha e São Lourenço, centros já foram fechados; já outras cidades da região permanecem com eles em funcionamento. Com o avanço da vacinação e a queda do número de casos graves da Covid-19, as principais centrais de atendimento da doença estão sendo fechadas na região.

Em Cássia, o espaço onde funcionava a central de atendimento de casos de Covid-19 foi fechada no dia 29 de outubro. No local eram feitos os primeiros atendimentos de pacientes com sintomas da doença.

"Nós tomamos essa decisão depois da avaliação dos últimos dois meses com queda bem considerável dos casos suspeitos e positivos do município de Cássia, bem como de internações e óbitos, então foi todo um estudo feito, bem sistemático, pra gente agir com muita segurança nesse momento", disse a coordenadora da vigilância em saúde de Cássia, Juliana Guimarães.

Desde o início da pandemia, a Central Covid de Cássia recebeu mais de 3,7 mil pacientes, mas com o avanço da vacinação, esse número caiu 71%. Situação bem diferente de maio, quando a cidade enfrentava um colapso no sistema de saúde.

Central de Atendimento Covid de Cássia foi fechada com queda de casos graves

Reprodução EPTV

Na época, o hospital da cidade chegou a 120% de ocupação de leitos e pacientes aguardavam na fila por uma transferência para vagas de UTI em cidades da região, que também estavam lotadas.

"Esse foi um momento de muito estresse para toda a equipe, muitas mortes que a gente teve, 60 mortes ao todo desde o ano passado até este momento e foi muito sacrificante para toda a equipe e população que teve essas perdas e hoje estar vivendo esse momento de fechamento da central Covid, para nós é uma vitória muito grande, de ver que estamos conseguindo vencer a Covid no município de Cássia", disse a coordenadora da vigilância em saúde.

O Hospital de Campanha de Varginha também foi fechado. O município desativou o espaço depois de 685 atendimentos durante a pandemia. Realidade também de São Lourenço, que fechou o centro de apoio por causa da queda nos atendimentos. Cerca de 5 mil pessoas passaram pelo local.

Segundo o epidemiologista Viniciu Rocha, esse fechamento só é possível devido ao cenário atual da doença na região.

"Essa desmobilização não pode significar uma desassistência, é muito importante que haja ainda, como tem havido em algumas prefeituras e municípios, o local em que se possa fazer a testagem, que é fundamental para se verificar esse controle da pandemia, sem testagem a gente corre o risco de subnotificação", disse o epidemiologista da Unifenas, Vinício Rocha.

Ainda conforme o epidemiologista, é necessário agora o cuidado com o pós-covid.

"Outro ponto importante é que se concentre agora no cuidado pós-covid, então a montagem de centros de reabilitação para que possam ser combativos as sequelas deixadas pela Covid, aquelas pessoas que ficaram com internação prolongada, ou sequelas relativas ao olfato, paladar, doenças cardiovasculares, pulmonares, essas doenças deixam de fato a pessoa bastante debilitada e requerem a atenção do sistema de saúde para a reabilitação", completou o epidemiologista.

A Prefeitura de Cássia informou que os pacientes que estiverem com sintomas devem procurar agora o pronto-socorro para atendimento.

Já os hospitais de campanha de Poços de Caldas e Lavras seguem em funcionamento, assim como os centros Covid-19 de Pouso Alegre e Passos.

Fonte: G1 Sul de Minas e Prefeituras Municipais

Comunicar erro

Comentários