Ministério do Trabalho investiga morte de mecânico atingido por gaiola com cerca de 400 kg em MG

Por Jornalista Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 02/12/2021 às 18:44:19

Cabo de aço

se parte, e

trabalhador

atingido por

queda de Gaiola,

morre esmagado

Em Varginha


Mauro Firmino, de 57 anos, morreu após o cabo de aço de uma ponte de rolamento se romper, fazendo com que uma gaiola se soltasse e caísse sobre a vítima. Acidente aconteceu por volta de 7h, no início do turno. Ministério do Trabalho investiga caso de acidente seguido de morte em empresa de Varginha


Varginha , a Cidade dos ETs, onde Ministério do Trabalho investiga morte de trabalhador esmagado por queda de Gaiola

Ministério do Trabalho vai investigar a morte de um trabalhador em uma empresa de construção civil em Varginha. O mecânico Mauro Firmino, de 57 anos, morreu após o cabo de aço de uma ponte de rolamento se romper, fazendo com que uma gaiola de aproximadamente 400 kg se soltasse e caísse sobre a vítima.

Segundo o auditor-fiscal do Ministério do Trabalho em Varginha, Leandro Costa Marinho, os trabalhos para levantamento de dados já começaram e uma ordem de serviço para a análise do acidente já foi emitida.

"É uma ação fiscal mais detalhada, onde é conversado com testemunhas. A máquina e todos os fatores de risco que possam estar relacionados ao acidente são levantados pela Auditoria Fiscal do Trabalho de maneira minuciosa. Depois disso é emitido um relatorio que é encaminhado para outros orgãos como o Ministério Público do Trabalho e a Advocacia Geral da União, para uma ação regressiva como pensão, para disponibilizar que a familia tenha subsídios e a empresa penalisada com multa", explicou Leandro.

Este trabalhador morreu

durante expediente de

trabalho em empresa

de Varginha.

Redes Sociais

Ainda de acordo com o auditor-fiscal, a empresa aonde Mauro trabalhava está englobada em um projeto nomeado "prevenção de acidentes". Empresas da área de construção civil são vsitoriadas mensalmente, por ser um setor onde acontecem acidentes com frequência. Uma das preocupações constantes é com relação as normas relugares de máquinas e de movimentação de materiais.

"É importante que estas maquinas tenham sistemas de segurança em funcionamento e adequados a cada risco que representam. E também que procedimentos ocupacionais sejam sempre observados para evitar trabalhadores em áreas de risco durante movimentação de mercadorias. Talvez até um limitador de altura em um içamento poderia ter evitado uma fatalidade. Sistemas de segurança e operacionais salvam vidas em máquinas".

Mecânico morre após cabo de aço se romper, e gaiola com aproximadamente 500 kg, cair em cima dele em Varginha

Willian Boechat/Varginha 24h

Relembre o Caso

O mecânico Mauro Firmino foi atingido por uma gaiola de aproximadamente 400 kg. Ele trabalhava em uma máquina utilizada para movimentação de materiais quando um cabo de aço se soltou, fazendo com que a gaiola, que estava presa no equipamento, se soltasse e caísse sobre ele.

"Foi numa empresa que produz artefatos de cimentos, direcionados à construção civil, artefatos de grande porte, numa máquina que a gente conhece como pórtico. Uma máquina utilizada para movimentação de materiais, ferramentas e também, segundo um levantamento nosso, foi içado uma peça de aproximadamente 400 kg e essa peça veio a se romper o cabo e caiu atingindo o trabalhador, que veio a óbito".

Segundo o Corpo de Bombeiros, a gaiola estava a aproximadamente 10 metros de altura. O advogado da empresa, Luciano Ferreira Lopes afirmou ao g1 que o acidente ocorrido na manhã desta quarta-feira (1º) foi uma fatalidade. O acidente aconteceu por volta de 7h, no início do turno.


Advogado X Advogado

Ainda de acordo com o advogado, a empresa está prestando suporte psicológico para a família da vítima. Além disso, os órgãos competentes foram acionados e os auxílios oferecidos pela empresa também foram pagos.

Segundo o advogado da família da vítima, Bruno Rodrigues Lima, Mauro teria sofrido outro acidente em novembro de 2020 na mesma empresa. O advogado da empresa confirmou este acidente ocorrido em novembro e afirmou que acompanha o andamento do processo.


Fonte: G1 Sul de Minas e Ministério do Trabalho

Comunicar erro
hospital Lavras

Comentários