'Atitude desumana', diz dona de cachorro que foi agredido com facão na zona rural de Paraguaçu, MG

Cão maltratado com FACÃO na zona rual de Paraguaçu: Polícia investiga o caso

Por Jornalista Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 14/01/2022 às 07:23:21

Alfredo,

o C√£oDiData

Denuncia:

C√£ozinho

"BRADOKE"

é agredido

com Facão em Paraguaçu




"...Um absurdo o que fizeram com o meu amiguinho, o C√ÉOZINHO DE PARAGUA√áU, o "BRADOKE", recebendo uma agress√£o com um FAC√ÉO. Este Cara tem de ser preso, nós c√£ozinhos também temos sentimentos, pensamos e sentimos, só n√£o falamos como os humanos, mas somos os melhores AMIGOS DO HOMEM...sniff...sinif...sniff. CAD√ä A JUSTI√áA? Cadeia no CARA...


Fam√≠lia registrou o boletim de ocorr√™ncia na √ļltima quarta-feira (12); Pol√≠cia Civil informou que inquérito foi aberto. 'Atitude desumana', diz dona de cachorro que foi agredido com fac√£o na zona rural de Paragua√ßu, MG

Agressão com Fação

Um cachorro foi agredido com um fac√£o pelo vizinho dos donos na zona rural de Paragua√ßu (MG) no √ļltimo fim de semana. Conforme relatos da dona do animal, o rapaz era amigo da fam√≠lia. A fam√≠lia registrou o boletim de ocorr√™ncia na √ļltima quarta-feira (12) e aguarda que o caso seja investigado. O suspeito est√° solto. A Pol√≠cia Civil informou que um inquérito foi aberto.

Em entrevista por telefone ao g1, a dona do animal, Mariana Batista Couto Cardoso Castilho, relatou que o crime aconteceu no √ļltimo domingo (9), por volta de 18h30.

"Meu marido e sogro estavam na estrada. O rapaz passou de moto com o cachorro dele perto, o Bradoke se aproximou, mas n√£o latiu, n√£o rosnou. Ele simplesmente pegou um fac√£o e agrediu o c√£ozinho", explicou.

A dona do animal relatou ainda que ele n√£o aparentava estar sob efeito de √°lcool ou drogas. Logo após o ocorrido, a fam√≠lia levou o animal ao veterin√°rio. Os custos com os medicamentos ficaram cerca de R$ 750.

De acordo com o laudo veterin√°rio, o animal teve uma les√£o de cerca de 10 cm próximo ao focinho e perdeu muito sangue. Segundo a Pol√≠cia Militar, o boletim de ocorr√™ncia foi encaminhado para a Pol√≠cia Civil e a fam√≠lia ainda vai prestar depoimento.

"Eu fiquei em prantos, sou muito apegada a ele. Estou gr√°vida, fiquei t√£o nervosa que fui parar no hospital. Logo nós levamos a receita para o rapaz. Ele apenas riu da situa√ß√£o e ignorou o pedido", contou Mariana.

A dona fez diversas

postagens nas redes sociais

pedindo ajuda dos amigos e familiares.



'Atitude desumana', diz dona de cachorro que foi agredido com facão na zona rural de Paraguaçu.


"N√£o temos o valor para arcar com todos os gastos. Os policiais nos orientaram que procur√°ssemos um advogado para contestar sobre as despesas. Mas infelizmente n√£o temos condi√ß√Ķes financeiras. Ficamos muito tristes, o bradoke é muito tranquilo e dócil. Nós ganhamos ele de um policial que estava com dois c√£ezinhos e por ele ser muito manso, doou pra gente", contou.

Nova lei prevê prisão

por maus-tratos a animais

Em setembro de 2020, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que estabelece pena de reclus√£o para quem praticar atos de abuso, maus-tratos ou viol√™ncia contra c√£es e gatos. O texto também prev√™ multa e proibi√ß√£o da guarda para quem praticar os atos contra esses animais.

De acordo com a lei, a pena para quem pratica abuso, fere ou mutila animais domésticos é de dois a cinco anos, podendo aumentar nos casos de morte do animal.

Casos na regi√£o

Depois que a nova lei entrou em vigor no Brasil em 2020, alguns casos de maus-tratos a animais com prisão já foram registrados no Sul de Minas. Em fevereiro do ano passado, em Careaçu (MG), um homem de 58 anos foi preso por suspeita de maus-tratos. Os policiais encontraram 10 gatos em um ambiente sujo e insalubre e um animal em decomposição. Conforme a Polícia Civil, o suspeito alegou falta de tempo para cuidar dos animais.

Ainda em fevereiro do ano passado, mas em Pouso Alegre (MG), um homem foi preso após espancar e matar uma cadela dentro de um condom√≠nio. Segundo as testemunhas, a cachorrinha apresentava sangramentos pela boca, focinho, ouvido, defecava e j√° estava desfalecida.

A cachorrinha, que tinha sete meses, n√£o resistiu aos ferimentos e morreu. Ainda conforme os vizinhos, o autor das agress√Ķes aparentava ter feito uso de bebidas alcoólicas ou drogas.


Fonte: G1 Sul de Minas e Polícias Civil e Militar e a Dona do BRADOKE

Comunicar erro
hospital Lavras

Coment√°rios