Assassinos que torturaram e mataram homem em 'tribunal do crime' são condenados a 21 anos pelo júri popular em Alfenas

Por Jornalista Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 02/06/2022 às 10:25:30
Presídio de Alfenas

Presídio de Alfenas

Assassinos que


torturaram e


mataram homem


em 'tribunal


do crime' são


condenados a 21


anos pelo Júri


Popular em


Alfenas


O crime aconteceu em maio de 2019. Segundo a polícia, Ueslei Vitor Portugal, 29 anos, foi submetido ao chamado "tribunal do crime".


Liminar proíbe realização de Feira de Moda e Couros na próxima semana em Alfenas - ALFENAS HOJE

FÓRUM de Alfenas, onde ocorreu o Julgamento

Homens são julgados por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver em Alfenas e São condenados a 21 anos de prisão.

Homem é assassinado pelo tribunal do crime após ser acusado de abuso sexual - Fotos - R7 Cidade Alerta
Ueslei, torturado e Assassinado pelo Tribunal do Crime em Alfenas em 2019.

Quatro homens acusados de envolvimento na tortura e assassinato de um homem em Alfenas foram a júri popular na quinta-feira (2). O crime aconteceu em maio de 2019. Segundo a polícia, Ueslei Vitor Portugal, 29 anos, foi submetido ao chamado "tribunal do crime". Os 4 foram condenados a 21 anos de cadeia.

Homem é morto pelo tribunal do crime em comunidade da Grande São Paulo - RecordTV - R7 Cidade Alerta

O julgamento teve início às 8h30, no fórum de Alfenas e terminou às 21 horas. Os assassinos foram condenados e acusados de homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, impossibilitar a defesa da vítima e meio cruel, além de ocultação de cadáver e organização criminosa.

O crime

O corpo de Ueslei foi encontrado no bairro Jardim São Carlos, em Alfenas (MG). O corpo foi encontrado após a Polícia Civil abrir investigações sobre um vídeo que estava circulando nas redes sociais com a possível tortura e execução da vítima.

Conforme a polícia, o crime estaria relacionado com um suposto estupro ocorrido na cidade. Segundo a polícia, o homem morava em um conjunto de prédios próximo à área rural onde foi morto.

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi submetida ao chamado "tribunal do crime". No vídeo, com imagens fortes, é possível ouvir a conversa entre os envolvidos e a vítima. A polícia acredita que a morte tenha sido um acerto de contas entre membros de facções criminosas.

Os homens que participam da ação no vídeo são apontados como membros de uma facção.

Relembre o Caso


A Polícia Civil prendeu nesta sexta-feira (17) dois homens, de 34 e 25 anos, suspeitos de envolvimento na morte de Ueslei Vitor Portugal, de 29 anos, em Alfenas (MG). A vítima foi torturada e executada, provavelmente, na madrugada do último dia 5.

Conforme a polícia, com as informações obtidas na investigação, a polícia representou pela prisão preventiva da dupla. O vídeo com as imagens da tortura, amplamente divulgado nas redes sociais, chegou à Polícia Civil na manhã do dia 7 de maio. Já na parte da tarde, o corpo foi localizado e a vítima identificada pela equipe de investigação.

Os policiais civis também levantaram as características dos suspeitos, encontraram as roupas usadas no dia do crime na residência em que eles estavam hospedados e trabalharam na qualificação dos investigados.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram possível ação de tribunal do crime — Foto: Reprodução/EPTV

Imagens que circulam nas redes sociais mostram possível ação de tribunal do crime — Foto: Reprodução/EPTV

Segundo a polícia, a vítima que foi morta era acusada de estuprar a filha, de 3 anos. Ueslei teria sido submetido ao chamado "tribunal do crime".

A vítima era casada e tinha dois filhos. Toda a comunidade estava revoltada depois de saber pela avó das crianças que a filha de 3 anos era violentada pelo próprio pai desde os 6 meses de idade.

No vídeo, com imagens fortes, é possível ouvir a conversa entre os envolvidos e a vítima. A polícia acredita que a morte tenha sido um acerto de contas entre membros de facções criminosas.

Fonte: G1 Sul de Minas e Polícias Civil e Militar

Comunicar erro
hospital Lavras

Comentários

novato