Médica condenada em Itajubá por lesão corporal em procedimentos estéticos é presa no Mato Grosso

Por Jornalista Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 09/06/2022 às 17:21:14

Médica


condenada


em Itajubá


por lesão


corporal em


procedimentos


estéticos


é presa no Mato


Grosso

A médica Esteticista, Hannae Hana Matsumoto, de Itajubá, foi condenada pela Justiça Itajubense a 4 anos e oito meses por lesão corporal gravíssima. Sua ficha criminal tem 71 processos, a maioria em Minas e São Paulo. Por ter residência no Mato grosso atualmente, a médica deve permanecer presa no Mato Grosso.

A Médica esteticista condenada pela Justiça de Itajubá, a 4 anos e oito meses, por lesão corporal gravíssima, foi presa no Mato Grosso. Ela tem mais 71 processos em Minas e São Paulo

Segundo a Polícia Civil de Mato Grosso, a médica foi presa após cumprimento de mandado de prisão expedido pela Comarca de Justiça de Itajubá.

Itajubá MG - A Nossa Cidade - Home | Facebook

Uma médica que foi condenada em Itajubá (MG) por lesão corporal gravíssima por realizar procedimentos estéticos sem a devida qualificação foi presa nesta quarta-feira (8) na cidade de Alta Floresta, no Estado do Mato Grosso.

Conheça a história de Alta Floresta - MT - YouTube
Segundo a Polícia Civil de Mato Grosso, a médica foi presa após cumprimento de mandado de prisão expedido pela Comarca de Justiça de Itajubá. A informação foi divulgada primeiramente pelo Portal Notícia Exata e confirmada pelo g1.

A médica, de 44 anos, foi condenada a 4 anos e oito meses de prisão. Ela recorreu e aguardava em liberdade o julgamento da ação, sendo que em 2021 houve nova condenação pelo TJMG e com mandado de prisão expedido.

Médica condenada em MG por lesão corporal em procedimentos estéticos é presa no Mato Grosso

Asscom/PJC-MT

Pelo menos duas pessoas tiveram deformidades permanentes devido aos procedimentos estéticos realizados pela médica, que também atuou em São Paulo e Guarulhos entre os anos de 2007 e 2008.

Atualmente ela realizava atendimentos em Alta Floresta e também em São Paulo. A médica possui CRM, mas teria realizado procedimentos para os quais não tinha especialização. A médica chegou a ser candidata a vereadora em Guarulhos (SP) no ano de 2020.

Segundo a Polícia Civil do Mato Grosso informou ao g1, a médica deverá ser levada de Alta Floresta para a cadeia feminina da cidade de Colíder, que fica a 159 quilômetros. Já a polícia mineira informou que por a médica já ter residência fixa no Mato Grosso, não há previsão de transferência para o Sul de Minas.

Fonte: G1 Sul de Minas e Polícias Civil e Militar

Comunicar erro
hospital Lavras

Comentários

novato