Campestre e São Gonçalo do Sapucaí começam 2021 com indefinição sobre prefeito eleito

Prefeitos não assumem os cargos em Campestre e São Gonçalo do Sapucaí

Por Da Redação em 01/01/2021 às 08:32:20


Prefeitos não


assumem os


cargos em


Campestre e


São Gonçalo do Sapucaí



Em Campestre já foi definido que nova eleição vai ocorrer. TSE ainda vai decidir sobre o pleito de São Gonçalo do Sapucaí. Campestre e São Gonçalo do Sapucaí começam 2021 com indefinição sobre os prefeitos eleitos. Em Campestre, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já determinou que nova eleição seja realizada na cidade em 2021. Já em relação a São Gonçalo do Sapucaí, o TSE irá definir a situação apenas após o retorno do recesso do Judiciário.

Campestre


O TSE indeferiu o registro de candidatura de Nivaldo Donizete Muniz, o Zetinho (PSDB), para o cargo de prefeito de Campestre e determinou a realização de novas eleições no município. Zetinho havia sido eleito para os próximos quatro anos com 52,18% dos votos válidos ou 6.566 votos. Ele derrotou Elias da Farmácia (PTB), que ficou em segundo lugar com 47,82% (6.018 votos). No entanto, a candidatura de Zetinho já estava "sub júdice".

Conforme denúncia do Ministério Público Eleitoral, o candidato, então prefeito de Campestre, cometeu ato de improbidade administrativa ao se utilizar de um processo de desapropriação para promover o enriquecimento ilícito de terceiro.

Segundo a assessoria do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), não há prazo para que as novas eleições sejam marcadas.

Campestre e São Gonçalo do Sapucaí começam 2021 com indefinição sobre prefeitos eleitos

São Gonçalo do Sapucaí



Em São Gonçalo do Sapucaí, o TSE vai definir a situação apenas após o recesso do Judiciário. Isso porque Eloi Radin (PSB) foi eleito no dia 15 de novembro, mas ele teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). Com isso, o caso foi para o TSE.

O TRE-MG destacou que, como a Corte Eleitoral confirmou o indeferimento do registro de candidatura de Eloi Radin no final de novembro, ele não pode ser diplomado nem tomar posse. Desta forma, em 1º de janeiro, o presidente da Câmara Municipal de São Gonçalo do Sapucaí, que será eleito durante após a posse, assumirá o comando da prefeitura até que o caso tenha uma solução.

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais também salientou que, caso o TSE mantenha o indeferimento, deverão ser marcadas novas eleições no município. Se o TSE reverter a decisão e deferir o registro, Eloi poderá ser diplomado e tomar posse.

Eloi Radin teve 48,48% dos votos. Foram 6.718 votos no total. O candidato derrotou Brian Drago que ficou em segundo lugar com 22,42% (3.106 votos).

Fonte: G1 Sul de Minas

Comunicar erro

Comentários