Manaus, médico relata: É difícil você ter que escolher quais pacientes devem receber oxigênio suplementar e quais vão ficar à morte....

Brasil no PICO e na segunda onda do Coronavírus com uma nova mutação em Manaus

Por Da redação em 16/01/2021 às 17:41:27

Manaus, médico


relata: É difícil


você ter que


escolher quais


pacientes devem


receber oxigênio


extra e quais vão morrer


É difícil você ter que escolher quais pacientes devem receber oxigênio suplementar. Os que têm mais chances." O relato é de um médico do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), em Manaus, onde centros médicos amanheceram sem oxigênio ou com estoques muito reduzidos, levando equipes médicas e pacientes ao desespero em meio ao recorde de internações por covid-19. A cidade registrou ao menos duas mortes pela falta de O2. A situação é crítica e não têm solução imediata, admitem agora as autoridades do Estado e do Governo federal, depois de meses de negligência com o avanço da pandemia. De Manaus, Steffanie Schimidt conta a corrida desesperada para transportar cilindros de oxigênio na própria cidade, muitas vezes até pelos próprios familiares, e o desafio de importar até via fluvial de outras partes do país o insumo. O Governo do Estado, por sua vez, tenta transferir pacientes estáveis para outras partes do país. A cidade registrou nos primeiros 14 dias de janeiro 1.654 sepultamentos. É mais do que todos os enterros realizados desde o auge da pandemia, em abril, até dezembro (1.285), num indicativo da severidade da segunda onda.

Uma nova mutação do Coronavírus surge em Manaus

Ver a imagem de origem

A reportagem de Beatriz Jucá analisa outra faceta da crise em Manaus com repercussão futura em todo o país: a nova cepa de coronavírus identificada no Amazonas que levou o Governo britânico a vetar a entrada de voos vindos do Brasil para contê-la. O caso do Estado exemplifica uma espécie de apagão de dados genômicos do vírus no país. Sem verba e com pesquisadores sobrecarregados, o país testa 100 vezes menos do que o Reino Unido e pode ficar para trás em mais essa batalha da pandemia. "O Brasil já testa pouco, e sequencia menos ainda. Tudo isso é reflexo de uma histórica falta de financiamento", critica o pesquisador Felipe Naveca.


Doação de Cestas de Verduras provoca tumulto em São Paulo


Em São Paulo, outro lado atroz da pandemia: o anúncio de uma doação de kits de alimentos pela Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo, a Ceagesp, atraiu milhares de pessoas ao local nesta quinta-feira, causando aglomeração. Muitos chegaram de madrugada para tentar conseguir uma das 3.000 senhas disponíveis para receber uma cesta de verduras, legumes e frutas. A ação aconteceu em meio a um protesto dos permissionários do entreposto contra o governador João Doria (PSDB) em virtude do aumento do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) para a cadeia produtiva dos hortifrutigranjeiros, que acabou sendo revogado. "A minha pressa é por comida, a vacina eu vou esperar, tenho medo dessa que estão anunciando, vou esperar para ser algo mais garantido", explicou Ivone dos Reis Oliveira, de 48 anos, na fila desde cinco horas da manhã.



Morrer sem oxigênio em uma maca: Está acontecendo em Manaus


Após minimizar crise, Planalto e Governo do Amazonas correm contra o relógio para transferir pacientes a outros Estados e conseguir importar insumo. "É difícil ter que escolher quais pacientes têm mais chances", afirma médico

Fonte: Jornal El País

Comunicar erro
Casa Coelho

Comentários

Novato