CPI da CĂąmara vai analisar contrato da Prefeitura de São Gonçalo do SapucaĂ­ por fraudes.

.

Por Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 06/12/2023 às 22:02:38

Comissão


Processante


vai analisar contrato da


Prefeitura de São Gonçalo


do SapucaĂ­ por fraudes, e


CĂąmara pode pedir


afastamento do prefeito


Ao final das investigações, vereadores podem pedir pela cassação do prefeito Brian Mendes Drago (UB). CP tem prazo de 90 dias para as investigações. Comissão vai analisar contrato de prefeitura com empresa investigada por fraude



A CĂąmara Municipal de São Gonçalo do SapucaĂ­ instaurou uma Comissão Processante (CP) para analisar todo o contrato da empresa THV com o municĂ­pio.

A instituição fica em Pouso Alegre e foi alvo de operação do Ministério PĂșblico paulista no inĂ­cio da semana por suspeita de fraudes.

A CP foi instaurada após uma denĂșncia anônima, durante a reunião de terça-feira (6). Todos os 11 vereadores foram a favor da comissão.

Ao final das investigações, a CĂąmara pode pedir pela cassação do prefeito Brian Mendes Drago (UB). A Comissão Processante tem prazo de 90 dias para as investigações.


Prefeito Brian Mendes Drago de São Gonçalo do SapucaĂ­ pode ser afastado pela CĂąmara Municipal.
A denĂșncia tem TrĂȘs Pontos: pagamentos ilegais superiores a R$ 258 mil; ineficiĂȘncia da administração e ausĂȘncia de respostas aos requerimentos aprovados na cĂąmara, além de falsidade ideológica, por inserção de assinaturas em documentos de pagamentos após a instauração da primeira CPI, em abril.





De acordo com o presidente da CĂąmara, PlĂ­nio Domingues (Podemos), a comissão serĂĄ composta pelo vereador Luiz Fernando Azevedo (PSB) como presidente, Giovane Gonçalves (PSDB) como relator e André Luiz Carvalho (UB) como Ășltimo integrante.

No fim das apurações, serĂĄ elaborado um relatório que serĂĄ votado pelos vereadores. Caso a comissão tenha subsĂ­dios que comprovem irregularidades, eles podem pedir a cassação do prefeito, que pode ter o mandato suspenso em caso de dois terços de votos favorĂĄveis.

Os vereadores de São Gonçalo do SapucaĂ­ e os vereadores de Jacutinga jĂĄ tinham encaminhado denĂșncias contra os contratos firmados com a empresa ao Ministério PĂșblico de Minas Gerais.

Em Jacutinga trĂȘs moradores e trĂȘs vereadores enviaram a denĂșncia por causa de um contrato do municĂ­pio com a THV.

Um dos pontos levantados é o valor do aluguel de uma mĂĄquina escavadeira por mais de R$ 800 mil, valor que se aproxima do preço total de uma mĂĄquina nova.

A CĂąmara Municipal chegou a questionar o acordo, mas não teve uma resposta esclarecedora, e a denuncia foi protocolada.

Empresa de Pouso Alegre é investigada em ação do Ministério PĂșblico que apura fraudes em contratos de limpeza pĂșblica


JĂĄ em São Gonçalo do SapucaĂ­, uma CPI foi concluĂ­da em agosto deste ano. No relatório final foram apontados mais de 15 crimes de improbidade administrativa envolvendo os contratos da cidade com a empresa.

O que chamou a atenção da cĂąmara foi o valor do contrato para podas de ĂĄrvores.

O prejuĂ­zo aos cofres pĂșblicos, segundo a CĂąmara de Vereadores, pode chegar a mais de R$ 1 milhão.

Essas suspeitas se juntaram à operação de segunda-feira, em Pirassununga, na região central do Estado de São Paulo.

O Ministério PĂșblico afastou o prefeito da cidade, secretĂĄrios e funcionĂĄrios pĂșblicos de seus cargos. Eles estariam envolvidos em um esquema de favorecimento de licitações entre o Governo Municipal e a empresa.


Fonte: G1 Sul de Minas e Da Redação

Comunicar erro
Fepi

ComentĂĄrios

novato