Sítios usados por suspeitos mortos em Varginha foram alugados em pontos estratégicos de Varginha, diz Bope

Quadrilha tinha tudo planejado para ataques e assaltos em Varginha

Por Jornalista Alair de Almeida, Editor e Diretor do Jornal Região Sul em 02/11/2021 às 08:05:19

Sítios usados

por suspeitos

mortos em

Varginha foram

alugados em

pontos estratégicos

de Varginha,diz Bope


Comandante do Bope diz que loca√ß√£o pode ter sido pensada para poss√≠vel fuga do local do crime. Comandante do Bope, tenente-coronel Rodolfo César Morotti Fernandes, fala da a√ß√£o policial em Varginha (MG)




Os dois s√≠tios utilizados pelos 26 suspeitos de integrar quadrilha de roubos a bancos mortos em Varginha (MG) ficam cerca de 20 quilômetros de dist√Ęncia um do outro. Os locais ficam em duas diferentes sa√≠das da cidade. Essa estratégia, segundo o Batalh√£o de Opera√ß√Ķes Especiais (Bope), pode ter sido pensada para poss√≠vel fuga após o crime.


"Os dois s√≠tios est√£o em locais extremos da cidade, n√£o s√£o próximos. Com certeza isso mostra até uma t√°tica deles de diante de um poss√≠vel confronto durante a a√ß√£o, eles teriam rotas distintas para se evadir do local", explicou o comandante do Bope, tenente-coronel Rodolfo César Morotti Fernandes.



O dono de um dos sítios, que preferiu não gravar entrevista, disse que alugou a casa há cerca de um mês para o mesmo grupo e que eles entraram em contato novamente, duas semanas depois, para fazer nova locação para passar o feriado.

Segundo a PM, s√≠tios alugados pelos suspeitos ficam em pontos estratégicos de Varginha

A suspeita da Pol√≠cia Militar é que o centro de distribui√ß√£o do Banco do Brasil seria um poss√≠vel alvo dos suspeitos.



Policiais Federais, peritos em vistoria nos 10 carros dos bandidos, todos roubados

Suspeitos de roubos a bancos s√£o mortos durante troca de tiros com PM, PRF e Bope em Varginha

Quadrilha interceptada com 26 mortos em MG tinha armamento 'de guerra'

Quadrilha tem relação com assaltos a bancos em outros estados, diz polícia

Integrantes da quadrilha fugiriam em carreta com fundo falso

"Domínio de cidades": entenda a modalidade de crime usada pela quadrilha morta pela polícia de MG




Caseiro que trabalhava em sítio em que estava quadrilha está entre os 26 mortos

?

PM explica o motivo de nenhum policial ter ficado

ferido em Varginha

Polícia Federal inicia perícia em carros e sítios usados

por suspeitos

Em um dos s√≠tios h√° uma sacada que, segundo as investiga√ß√Ķes, um dos suspeitos realizava a vigia. A pol√≠cia afirma que o confronto teria come√ßado no local quando o suspeito come√ßou a atirar.

"A abordagem em si foi feita pelas equipes especializadas, do Bope e da PRF. S√£o equipes treinadas, inclusive treinam juntas, fazem cursos juntas. S√£o equipes que sabem progredir no terreno, o uso correto do armamento, o abrigo. O treinamento deu t√£o certo que n√£o tivemos nenhuma v√≠tima policial", falou o tenente-coronel Marcos Serpa de Oliveira, que é comandante do 24¬ļ Batalh√£o da Pol√≠cia Militar em Varginha.

PM diz que sacada

era utilizada para

suspeitos verificar

movimentação fora

do sítio em Varginha


As investiga√ß√Ķes sobre a a√ß√£o conjunta da Pol√≠cia Militar e da Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal tiveram in√≠cio pela Pol√≠cia Civil. Equipes da Pol√≠cia Rodovi√°ria também est√£o em Varginha e fazem a per√≠cia dos s√≠tios, além dos carros utilizados pelos suspeitos.

A equipe da Polícia Federal deve

permanecer em Varginha até

o final desta semana para

finalizar os trabalhos de perícia.


Polícia Federal inicia perícia em sítios usados por suspeitos de roubo a banco mortos em Varginha


A Pol√≠cia Civil, por outro lado, divulgou nesta segunda-feira (1¬ļ) a identifica√ß√£o de tr√™s dos 26 homens que morreram durante a a√ß√£o policial. S√£o eles: Jerônimo da Silva Souza Filho, natural de Porto Velho (RO); Nunes Azevedo Nascimento, do Amazonas, e Gleison Fernando da Silva, de Uberaba (MG).

Amostras de DNA coletadas dos 26 corpos dos suspeitos de assalto a banco ser√£o inseridas no banco nacional de perfis genéticos. A partir disso, poder√° ser apontada a eventual participa√ß√£o deles em outros crimes.

Operação e confronto

A opera√ß√£o conjunta entre Pol√≠cia Militar, Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal e Batalh√£o de Opera√ß√Ķes Policiais Especiais (Bope) resultou na morte de 26 suspeitos de pertencerem a uma quadrilha roubos a bancos no domingo (31) em Varginha. De acordo com a PM, os suspeitos seriam especialistas neste tipo de crime.


Segundo a Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal, os confrontos com os homens ocorreram em dois s√≠tios diferentes localizados em duas sa√≠das da cidade. Na primeira, os suspeitos atacaram as equipes da PRF e da PM, sendo que 18 criminosos morreram no local. Em uma segunda ch√°cara, conforme a PRF, foi encontrada outra parte da quadrilha e neste local, após intensa troca de tiros, sete suspeitos morreram. A 26¬™ morte, do caseiro, foi confirmada só na manh√£ desta segunda-feira (1¬ļ).

Ao todo foram apreendidas 26 armas, dois adaptadores, 5.059 muni√ß√Ķes, 116 carregadores, capacetes à prova de balas, explosivos diversos, 12 coletes bal√≠sticos, sete r√°dios comunicadores, 12 gal√Ķes de gasolina de 18 litros cada e quatro gal√Ķes de diesel de 100 litros cada. Entre as armas, havia uma metralhadora ponto 50, além de fuzis e granadas. Pelo menos 12 ve√≠culos roubados que estavam com a quadrilha foram recuperados.

A Polícia Militar de Varginha revelou que os suspeitos haviam alugado um sítio na região do bairro rural da Flora para ficarem perto do Batalhão da PM e assim realizarem a ação.

Ainda conforme o Bope, todos os suspeitos chegaram a ser socorridos com vida, mas não resistiram. Nenhum policial ou civil ficou ferido na ação. A investigação ficará a cargo da Polícia Civil e da Polícia Federal.

Apuração sobre as mortes

A Comiss√£o de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais pediu uma apura√ß√£o sobre as mortes. A deputada Andréia de Jesus (PSOL), presidente do colegiado, diz que vai acionar o Ministério P√ļblico e a Secretaria de Seguran√ßa P√ļblica investigar o caso.

Em nota, a Comiss√£o de Direitos Humanos da Subse√ß√£o da OAB Varginha informou que busca atua√ß√£o integrada com a Comiss√£o de Direitos Humanos da OAB Minas Gerais para acompanhamento de todas as investiga√ß√Ķes e demais procedimentos.

O Fórum Brasileiro de Seguran√ßa

P√ļblica também acredita que uma

investigação deve ser feita para

apurar a ação.

"A gente sempre lembra que o policial só é policial porque pode fazer o uso da for√ßa e essa for√ßa pode chegar a matar outra pessoa, mas isso n√£o se faz desprovido de regras e limites, é preciso entender se nessa opera√ß√£o em Minas Gerais houve um abuso desse limite, ultrapassou-se esse limite para gerar 25 mortes.

"Como eu disse, é muito raro no Brasil que uma √ļnica opera√ß√£o policial tenha como resultado, além da grande apreens√£o de armas, a frustra√ß√£o de um crime como assalto a bancos como vem acontecendo Brasil afora, o resultado de 25 mortes. É preciso esfor√ßo do Ministério P√ļblico e das corregedorias das pol√≠cias investigar se houve ou n√£o abuso ou houve ou n√£o letalidade policial", disse o membro do Fórum Brasileiro de Seguran√ßa P√ļblica, Ivan Marques.

Quadrilha tinha Bombas para Explodir Caixas Eletrônicos e Bancos em geral, foto acima, e na Foto abaixo armas e a metralhadora Ponto 50, que pode derrubar avi√Ķes. Arma exclusiva das For√ßas de Seguran√ßa e do Exército. Como estas armas foram parar nas m√£os dos bandidos???

Verdadeiro arsenal de guerra, o armamento nas m√£os dos bandidos: Varginha foi salva pelos policiais mineiros e pela PRF. Muitas mortes foram evitadas. Os 26 bandidos foram mortos em defesa própria e em defesa da Seguran√ßa P√ļblica, por isso s√£o os novos Heróis de Minas Gerais

CARRETA CAMUFLADA É


APREENDIDA


EM MUZAMBINHO

Carreta apreendida em Muzambinho com ca√ßamba camuflada era para a fuga dos bandidos. Quem s√£os os contatos destes bandidos aqui na Regi√£o Sul Mineira? A pol√≠cia n√£o pode mais parar de investigar, tanto a Civil como a Militar, ao lado da PF, PRF e BOPE, em Minas e as demais pol√≠cias de todos os estados Brasileiros. Pol√≠ticos, est√° na hora d cria√ß√£o de um Comit√™ Especial de Seguran√ßa P√ļblica pra centralizar estas Opera√ß√Ķes em todo o pa√≠s.



Ficam as perguntas:

Quem s√£o os CHEFES destas quadrilhas no Brasil?

Como compram armamento exclusivo das Forças Armadas?

O PCC est√° por tr√°s disso tudo ou o Comando Vermelho?

Qual a divis√£o estratégica desdes bandidos por Estado e Regi√£o?

Por tudo isso já passa da hora da Polícia de todos os Estados se reunirem, pelo Setor de Inteligência, e começar a caçar os verdadeiros chefes que devem se esconder por trás de que, ou de quem??



Fonte: G1 Sul de Minas e PEF e Militar / BOPE

Comunicar erro

Coment√°rios